Exame Periódico garante o monitoramento da saúde ocupacional

Prevenir é melhor do que remediar: realizamos exames periódicos para acompanhar o estado de saúde dos funcionários. 


Uma vez contratados, todos os trabalhadores vão precisar fazer exames clínicos que monitorem o seu estado de saúde ao longo dos anos de trabalho (Art. 168 da CLT e NR 07).

A frequência dos exames periódicos varia de acordo com a função e com os riscos aos quais os trabalhadores estão expostos.

Via de regra, é assim:

  • Se o trabalhador tem entre 18 e 45 anos e não está exposto a riscos ocupacionais que possam comprometer a sua saúde ou integridade física, ele faz o exame periódico a cada dois anos. Um exemplo desse grupo pode ser a pessoa que trabalha em escritório. Ainda assim, só o médico pode determinar se a validade do exame é mesmo bianual, pois a função pode expor o colaborador a riscos ergonômicos, ruído excessivo ou muita pressão psicológica.

  • Trabalhadores com menos de 18 anos e mais de 45 anos; pessoas expostas a riscos ou situações de trabalho que possam desencadear ou agravar doença ocupacional e portadores de doenças crônicas normalmente fazem o exame periódico anualmente.

  • Devemos ter atenção especial a trabalhadores expostos a condições hiperbáricas (quando a pessoa está sujeita a pressões maiores do que a pressão atmosférica). Isso acontece quando o funcionário trabalha abaixo do nível da Terra, em atividades como mergulho, escavação e extração de petróleo. Quando essa condição estiver presente, a periodicidade é especificada de acordo com o caso específico no Anexo nº 6 da Norma Regulamentadora 15 (NR-15).

  • Trabalhadores que realizam exames complementares a cada seis meses, o que pode ser o caso de manipuladores de alimentos e pessoas que trabalham em altura, precisam passar com o médico a cada repetição de exames.

As exceções:

O intervalo de tempo pode ser menor em três casos:

a) a pedido do médico coordenador do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) da empresa.

b) se houver notificação de médico agente de inspeção do trabalho

c) como resultado de negociação coletiva de trabalho.

 


No dia do exame, não se esqueça de:

  • Levar documento com foto e carteira de trabalho

  • Verificar com o RH da empresa se a sua função requer realização de exame complementar

  • Quando houver, cumprir os pré-requisitos dos exames complementares


Cidades do Estado de São Paulo:

Apiaí  |  Araraquara  |  Arujá  | Atibaia  |  Batatais  |  Campinas  |  Campos do Jordão  |  Cachoeira Paulista  |  Caieiras  |  Caraguatatuba  |  Carapicuíba  |  Catanduva  |  Diadema  |  Franca  | Guarulhos  |  Guaratinguetá  |  Guarujá  |  Ibitinga  |  Itapetininga  |  Itaquaquecetuba  |  Jacareí  | Jaboticabal  |  Jaguariúna  |  José Bonifácio  |  Limeira  |  Lorena  |  Marília  |  Mogi Mirim  |  Novo Horizonte  |  Osasco  |  Penápolis  |  Pindamonhangaba  |  Piracicaba  |  Porto Ferreira  |  Praia Grande  |  Presidente Prudente  |  Registro  |  Ribeirão Preto |  São Bernardo do Campo  |  São Carlos  |  São José dos Campos  |  São José do Rio Preto  |  São Miguel Arcanjo  |  São Vicente  |  Santa Rita do Passa Quatro|  Santo André  |  Sertãozinho  |  Sorocaba  |  Suzano  |  Taquaritinga  | Taubaté  |  Tupã  |  Ubatuba  |  Valentim Gentil  | Vinhedo

Cidades de outros Estados:

Belo Horizonte  |  Campina Grande  |  Florianópolis  |  Fortaleza  |  Macapá  |  Maceió  |  Palmas  |  Pinhais  |  Porto Alegre   |  Rio de Janeiro  |  São Luís   |  Teresina  |  Vitória


Quer um orçamento?

Medin Medicinaexame, admissional, trabalho