Mitos da alimentação moderna: gordura leva a problemas de coração

brooke-lark-229136.jpg

será que a gordura NATURAL dos alimentos é causa de problemas no coração?

Autora do texto: Juliana Souza  |  Nutricionista

Muito se ouve falar que, para sermos saudáveis, precisamos comer a cada 3 horas, ou que precisamos comer alimentos com menos gorduras e dar preferência por pães e grãos integrais ou até mesmo que para manter um corpo saudável precisamos comer conforme a pirâmide alimentar.

Os pacientes no meu consultório ficam de cabelo em pé quando eu digo que todas essas condutas não passam de MITOS. Isso mesmo: mitos. Sabe aquela história de que quando uma mentira é dita várias vezes ela acaba se tornando “verdade”? É exatamente isso que aconteceu com nossas diretrizes nutricionais.

Um desses mitos que vem sendo derrubado com louvor por dezenas de ensaios clínicos randomizados (um dos maiores níveis de evidência) é o mito de que a gordura NATURAL dos alimentos faz com que tenhamos problemas no coração.

Muitas fraldes em estudos para não prejudicar a indústria do açúcar e do refrigerante umas delas, a mais conhecida, foi o famoso lobby do carboidrato.

Recentemente um pesquisador da universidade da Califórnia descobriu alguns documentos que provam o envolvimento ilícito da indústria do açúcar com alguns pesquisadores da área da Nutrição. Os documentos mostram décadas de corrupção em estudos científicos - estavam entre os envolvidos três cientistas de Harvard, que receberam cerca de 50 mil dólares para publicar uma revisão de pesquisa sobre o açúcar, gordura e doenças cardíacas.

Sem se preocupar com a saúde da população, a indústria do açúcar fez o que foi preciso para que essa pesquisa ficasse a seu favor, culpando assim as gorduras pelo aumento de peso e risco de doenças cardiovasculares. Isso tudo ocorreu em 1967. Essa revisão foi publicada em um dos jornais de maior repercussão e serviu como referência desde então para muitos médicos (inclusive pediatras), Aliás, serve até hoje.

A descoberta desse escândalo rendeu uma publicação no JAMA (The journal of the American Medicial Association) dizendo que as pesquisas que fazem correlação entre nutrição e doenças cardiovasculares foram fraudadas e também que muitas diretrizes atuais (pirâmide alimentar, por exemplo) são fortemente influenciadas pelo lobby dos carboidratos.

Um dos cientistas pagos pela indústria açucareira foi Mark Hegsted, que veio a ser chefe do departamento de agricultura dos Estados Unidos e, em 1977, ajudou a escrever as diretrizes nutricionais dos Estados Unidos, seguindo as diretrizes errôneas que ele mesmo fraudou.

Infelizmente depois disso, eesse apoio ao consumo exagerado de açúcar fez com que a população de pessoas obesas aumentasse absurdamente e segue aumentando até hoje 50 anos depois da fraude.

A explosão da obesidade como uma das principais doenças da atualidade é causada (também) por um esquema fraudulento e má gestão. A doença mais do que duplicou desde a década de 1980, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Um exemplo que mostra que vivemos como reflexo dessa fraude até hoje, é que cresce o consumo de alimentos light ou diet. O que não sabemos é que quando a indústria retira a gordura natural do alimento (iogurte, por exemplo), ela acrescenta açúcar para dar o sabor que a gordura proporciona, só que o aumento da obesidade e excesso de peso está mais ligado ao aumento do consumo de carboidrato simples e açúcares do que consumo de gorduras no geral. A obesidade é a doença que traz mais fatores de risco para as doenças cardiovasculares. Não é à toa que as taxas de obesidade dispararam a partir da década de 1980.